A expressão cartão de crédito clonado surgiu ainda quando os cartões de crédito ainda não possuíam o microchip. Hoje, você pode chamar de golpe ou fraude também.

A clonagem do cartão de crédito acontecia juntamente com a tarja magnética, que continha todas as informações do titular e que poderia ser “copiada” para depois ser realizadas compras fraudulentas.

A pessoa que foi vítima de cartão clonado pode perceber a fraude semanas depois da fraude. Antes dos sistemas e bancos terem notificações eletrônicas dos gastos no cartão, a maneira mais comum era conferir na fatura.

Atualmente, as instituições financeiras e bancos empregam diversas tecnologias para proteger seus usuários das diversas formas de crimes e fraudes envolvendo cartões.

Contudo, de acordo com estudo realizado em novembro de 2020 pela Dfndr Lab, 1 a cada 6 brasileiros já teve o cartão de crédito clonado.

Dessa forma, ainda nos dias de hoje, mesmo com toda a segurança existente, tanto no pagamento físico como no pagamento online, qualquer um está sujeito a passar por essa desagradável situação de ter seu cartão de crédito clonado.

Vamos entender como acontecem essas fraudes e clonagens nos dias de hoje, como evitar o máximo possível e o que fazer caso você realmente identifique que seus dados foram clonados.

7 formas mais comuns de ter seu cartão de crédito clonado

A clonagem do seu cartão de crédito pode acontecer de diversas maneiras, podendo ser em caixas eletrônicos que tiveram adulteração na entrada do cartão ou no sistema, mas também podem acontecer em páginas online maliciosas.

Vamos então entrar mais a fundo e conhecer as técnicas que hackers ou quadrilhas especializadas nesses crimes de clonagem usam.

1. Caixas eletrônicos adulterados

Para conseguir copiar os dados do cartão, os fraudadores adulteravam o leitor do cartão de caixas eletrônicos, principalmente os 24h.

Mas atualmente, há relatos de pessoas que tiveram os dados roubados também com cartão de chip.

Como foi o caso da dupla que foi presa em junho de 2022 em Cuiabá-MT. 

Em resumo, o golpe consistia em instalar um dispositivo que prendia o cartão na máquina.  Os bandidos também colaram adesivo nos caixas eletrônicos com um número de 0800 falso e, nessa ligação, conseguiram dados como CPF e Data de Nascimento. Veja aqui a notícia completa.

Um outro caso envolvendo caixas eletrônicos e cartão de crédito foi do trio preso em Brasília em outubro de 2021.

Nesse caso, o dispositivo instalado nos caixas eletrônicos “engoliam” os cartões das vítimas. Os criminosos pegavam esses cartões e alugavam carros e faziam compras. Confira aqui a notícia.

2. Máquina de cartão adulterada

O golpe da maquininha, como ficou conhecido, se popularizou durante a pandemia, em decorrência do aumento do número de deliverys de comida, principalmente.

Esse golpe acontece quando o cliente solicita o pagamento na entrega. A máquina de cartão vem adulterada e não é possível o consumidor checar o valor do pagamento.

Outros golpes envolvendo os aplicativos de deliverys e entregadores também foram relatados, como o caso recente do caso em que o entregador filmou os dados do cartão, ou do falso entregador que pediu os dados do cartão e conseguiu um financiamento com os dados da vítima.

Cartão de crédito clonado em pagamento na máquina de cartão

3. Phishing

É caracterizado como Phishing quando há a criação de uma página online ou de um e-mail falso.

Nesse golpe, o consumidor é induzido a acreditar que se trata de um site uma grande loja, induzindo o cliente a acreditar que esse site ou loja está com uma super promoção.

Normalmente, empolgado com um grande desconto, e também por motivo que essas páginas parecem verdadeiras, o consumidor acaba colocando os dados do cartão para finalizar a compra.

Essas quadrilhas, que criam páginas falsas, coletam os dados de cartão de crédito de centenas ou milhares de pessoas e causam milhões de reais em prejuízos.

4. Apps desconhecidos

Em aplicativos como o Ifood, Uber e tantos outros, que conhecemos e usamos diariamente, é mais difícil de acontecer esse tipo de golpe.

Porém, incluir os dados do cartão dentro de aplicativos não muito conhecidos, com reputação baixa e até mesmo de jogos, pode facilitar o acesso aos seus dados pessoais e financeiros pelos ciber criminosos.

5. Compras online em sites não seguros (sem SSL) ou fraudulentos

Acredito que o que se tornou mais comum nos últimos anos foi a popularização das compras online. E isso se tornou um oceano de possibilidades para o cibercrime.

Por isso, há detalhes que você precisa reparar quando acessar uma loja para comprar, justamente para evitar cair em golpes.

Os sites falsos normalmente não possuem o certificado de segurança SSL na URL,  ou seja, antes do endereço do site consta que o site não é seguro.

Um outro fator são os selos de segurança que as empresas idôneas possuem e que você pode checar, como por exemplo, o Reclame Aqui!.

6. Via rede de internet/wi-fi público ou não confiável

Redes de internet públicas ou que possuem muitos acessos por pessoas diferentes podem ser uma forma que facilite para que seu cartão seja clonado.

Normalmente, essas redes possuem uma segurança muito baixa, o que facilita aos hackers inserirem um Malware.

O Malware (softwares maliciosos) são programas perigosos que podem infectar vários dispositivos eletrônicos, como o seu computador, o seu smartphone e também o roteador wi-fi ou modem da rede de internet que você se conecta.

É um meio muito usado no cibercrime, em que hackers conseguem acesso a todas as informações, como por exemplo senhas e dados do cartão contidos no computador ou no smartphone, assim que identificado a conexão deste em uma rede não segura.

Portanto, mesmo se você estiver usando aplicativos ou comprando em sites que conhece, se a rede que você estiver usando tiver um desses vírus, você pode ter seu cartão de crédito clonado.

Sendo assim, evite se conectar ao wi-fi ou redes de hotéis, livrarias, restaurantes ou outra rede pública se precisar usar um app que envolva pagamento online ou até mesmo para realizar compras. Nesses casos, usar o 4G ou 5G é muito mais seguro.

7. Roubo de informações

Se você costuma salvar os dados do cartão de crédito em bloco de notas ou em foto, por exemplo, há um risco dessas informações vazarem ou serem roubadas.

E esse risco aumenta ainda mais se você emprestar essas informações para um amigo ou familiar.

Principalmente se você fotografar o seu cartão e enviar para esse “terceiro” por alguma rede social, pois a cada dia, mais e mais pessoas acabam tendo o WhatsApp, Facebook e Instagram invadidos e o risco está justamente em ter esses dados armazenados no histórico.

Meu cartão de crédito foi clonado! E agora?

meu cartão de crédito foi clonado, e agora?

Se você identificar que houve compra indevida, ou tentativa de uso do seu cartão, o primeiro passo é entrar em contato com a instituição financeira ou banco e realizar o bloqueio do mesmo.

Algumas empresas oferecem esse serviço pelo próprio aplicativo do cartão de crédito.

Feito isso, informe todas as movimentações que você não reconhece

O segundo passo é fazer um boletim de ocorrência. Algumas cidades já possuem o serviço de boletim online.

Ao realizar o B.O.,você reforça com a provedora do seu cartão que realmente você foi vítima de uma fraude, como também sinaliza para as outras entidades que aqueles dados estão sendo vítimas de fraude.

Feito isso, e com a constatação de fraude, você receberá o seu dinheiro de volta.

Mas fique atento aos protocolos que o banco ou instituição financeira praticam nessas ocasiões para não se frustrar.

Afinal, como evitar a clonagem do seu cartão de crédito?

As instituições financeiras e bancos estão, cada vez mais, investindo em tecnologias para evitar essas fraudes, mas há algumas ações que todo consumidor pode fazer para se prevenir.

Separamos 6 ações que podem evitar você ter o seu cartão de crédito clonado.

* Não divulgue suas informações online

Nunca, de forma alguma, poste a foto do seu cartão de crédito nas redes sociais, nem parcialmente.

É muito comum, principalmente entre os mais jovens, postar nas redes sociais a foto quando o novo cartão é recebido.

Mas mesmo que seja parcialmente, evite fazer isso.

E se porventura você encontrar um cartão de crédito ou documento, cuidado ao divulgar nas redes sociais o achado.

* Não informe suas senhas

As senhas são sigilosas e você deve memorizá-las. 

Contudo, algumas pessoas têm o hábito de colocar a senha e cartão juntos na carteira.

Evite fazer isso, pois caso você perca sua carteira, você entregou “a faca e o queijo” para um possível criminoso.

* Cuidado ao emprestar o cartão de crédito

Caso você queira emprestar o seu cartão de crédito para um amigo ou familiar, evite enviar fotos ou mensagens contendo as informações do cartão.

Como já abordamos anteriormente, essa situação pode facilitar a ação de criminosos.

No caso, o ideal é ir junto da pessoa na loja, realizar a compra online junto com ela ou até mesmo você mesmo realizar a compra.

como evitar que o cartão de crédito seja clonado

* Usar cartão de crédito virtual

Muitas instituições financeiras e bancos já possuem a função de oferecer o cartão de crédito (e de débito) virtual.

Mesmo ainda não sendo tão popular, esse método é excelente, pois você não deixa registrado os dados oficiais do seu cartão físico quando for realizar uma compra online.

Contudo, fique atento aos pagamentos em recorrência, como a assinatura mensal de streamings por exemplo, pois o número e o código de verificação do cartão virtual é alterado constantemente.

E, se caso tiver algum problema ou identificar alguma tentativa de compra indevida, é só bloquear o cartão virtual no aplicativo do banco, sem precisar cancelar o seu cartão principal.

* Faça uma dupla checagem no site antes de comprar para não ser vítima de phishing

Não sair clicando em qualquer link, propaganda ou mensagem recebida é crucial para evitar que seu cartão não seja clonado.

Ao receber em seu e-mail, via SMS ou até mesmo ser impactado por uma postagem nas redes sociais uma promoção “imperdível”, antes de clicar, abra o app ou site da loja e verifique se essa promoção existe.

O mesmo vale para lojas que você não conhece, faça uma pesquisa dessa loja na internet antes de comprar.

E, principalmente se você identificar um desconto enorme em um produto que, normalmente, é caríssimo, segure a emoção e verifique. 

Nessas fraudes, os criminosos agem com o senso de urgência, colocando uma contagem regressiva e até mesmo um estoque muito baixo, induzindo assim o consumidor a achar que, se não clicar, perderá uma grande oportunidade.

* Tenha cuidado com as redes de internet em locais públicos

Conectar-se na internet em redes wireless públicas pode ser um risco, pois normalmente a segurança dessas redes é baixa, tornando qualquer um sujeito a ser clonado.

Restaurantes, shoppings e hotéis são locais que costumam oferecer o “wi-fi gratuito”. Alguns ainda pedem o “check-out” do cliente nas redes sociais para fornecer o acesso, e isso pode ser um “prato cheio” para os fraudadores.

Caso precise conectar-se a uma rede pública, tenha certeza que o aplicativo que você acessou está protegido com dupla autenticação e evite realizar compras online ou cadastrar o seu cartão de crédito quando estiver conectado a essas redes.

Dicas e práticas ao monitorar seu cartão de crédito

Mas afinal, como identificar se o cartão de crédito foi clonado com rapidez e eficiência?

A melhor maneira de identificar se o seu cartão de crédito foi clonado é o hábito de conferir sua fatura mensalmente ou até semanalmente via aplicativo ou site do seu cartão de crédito.

Portanto, se você não tem esse hábito, corre o risco de compras indevidas passarem despercebidas por você e até pelos serviços antifraude da instituição do cartão.

Um erro comum é pensar que os gastos fraudulentos são gastos de valor alto. Porém há muitos casos também onde o gasto fraudulento é de valor baixo justamente para passar despercebido.

Ao olhar a fatura do cartão, tente também identificar gastos em locais distantes que você reside ou viaja. 

Outra dica muito válida é ativar as notificações toda vez que usar o cartão de crédito. 

Ao receber mensagens da instituição financeira via SMS em seu celular, você vai poder acompanhar em tempo real o que acontece no seu cartão e tomar todas as ações necessárias, que veremos ao final deste artigo.

Conclusão

Infelizmente, se você teve o seu cartão de crédito clonado, você está junto de milhares de brasileiros que já caíram em algum tipo de golpe ou fraude.

Contudo, nosso intuito com esse artigo não é traumatizar ou colocar medo, mas sim alertar para algumas ações que praticamos e, que muitas vezes, podem nos prejudicar.

Espero que tenhamos te ajudado e que você tenha gostado dessas informações e dicas!

0 CommentsClose Comments

Leave a comment